Letras:

Promessa

O seu amor, sempre longe, foge, furta-cor
E de assalto toma o chão de mim

Não me importo

Os aviões de papel… Dói no peito, o amor desfeito
Nuvens pelo céu

Não me importo

Voodoo, no fundo do mar azul, em paz, repousa a isca mordaz

——————————————————————————————————-

Jane

Deita comigo e me faz esquecer o que sei lá. Eu não quero mais um motivo para não te amar. Palavra por palavra: Místico, indizível, intocado, invisível, calado, distante, próximo, inconstante. Às vezes óbvio, frágil, confuso, errante. Diante de ti, eu venho, ofegante te pedir: fica aqui.

(…)

E isso é tudo o que não sai da minha cabeça, tudo o que você me faz pensar, todas as coisas que não tenho certeza, tudo o que me faz acreditar. O tempo que vira pó, toda essa solidão sem par, todos os destinos de um só, tudo o que me faz voltar. Azul, sem paz, repousa a isca mordaz. Falta, isso é tudo o que você me faz.

——————————————————————————————————-

O Bandido da Luz Negra

Ninguém sabia ao certo se foi a porta ou telefone, mas algo bateu forte e depois disso tudo mudou. Ou tudo talvez tenha sido apenas desvelado, certas obviedades não saltavam aos olhos de ninguém por ali. Um mundinho sujo, escuro e perverso apareceu na manhã do dia seguinte e nunca mais se foi. Se acomodou por ali mesmo, como um hóspede indesejado

(…)

E até quem enxergasse a alma cadavérica que vagava por ali, vestida de sorrisos e um certo mistério naquela antipatia de auto-defesa, não apostaria que de mãos dadas a um velho franzino acorrentado a um peso suficientemente incômodo, de aço, em forma de feto, estaria lá a sua última esperança, que se derramava aos poucos pelo suor frio de sua testa, a cada noite que ele se abrigava na rua, por trás de pessoas que ele mal conhecia e que não queria maior proximidade do que aquilo, de forma alguma.

De forma alguma…

——————————————————————————————————-

Tudo Bem

Amanhã, somente amanhã, finjo tudo bem
Tudo bem!

——————————————————————————————————-

Traquitana

Um dia chuvoso

De dentro pra fora

Cor de cinza teimoso

Nostalgia sem hora

O tempo que demora

Solidão de praia, aurora

Saudades do mar, história

Vida, amor & morte, memória

(…)

No final da madrugada

A ausência de quem se ama

Numa folha amassada eu escrevo coração-âmbar

Uma maneira de te ver, encontrar

Traquitana

Vento bravo e selvagem

Numa manhã de julho

Garôa de silêncio

Mar de barulho

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s